Artigos

 

Alteração do desempenho esportivo associado a causas bucais Introdução Segundo a Academy for Sports Dentistry,

Odontologia Esportiva envolve a prevenção e o tratamento de injúrias orofaciais e doenças, alterações orais relacionadas a atletas. Atualmente o profissional da Odontologia Esportiva está apto a trabalhar em clubes, academias, federações e confederações esportivas, ou até mesmo juntamente com outros profissionais da área da saúde como é o caso da educação física, médicos, fisioterapeutas, psicólogos e nutricionistas. É de suma importância que um atleta visite periodicamente o cirurgião dentista para realização de exames e manutenção da saúde oral. Atualmente, várias equipes ainda não dispõem deste profissional em suas sedes. Seja um atleta profissional ou amador, estando com saúde oral, terá uma maior facilidade em alcançar o sucesso em sua modalidade praticada. Um excelente rendimento físico às vezes pode não ser alcançado devido a uma série de fatores, como má oclusão dentária, dor e desconforto, foco infeccioso na boca, o atleta ser um respirador bucal, ter hábitos viciosos como roer unhas, ranger dentes – abrasão e desequilíbrio. Há casos em que determinados atletas que sofrem de causas bucais necessitam de uma manutenção de todo o sistema estomatognático para poder competir em alto nível. Também existem outras causas em que o cirurgião-dentista (CD) deve tomar uma série de cuidados e até mesmo alertá-lo em relação à ingestão de medicamentos que possam causar doping e a ingestão em demasiado de isotônicos comumente ingeridos por atletas de alto rendimento durante e após as competições por causarem erosão aos dentes quando consumidos de modo inadequado e com alta frequência. Investigar problemas de ordem bucal em atletas é de suma importância para um bom rendimento dentro de suas modalidades. Um esportista com má oclusão, ou sendo respirador bucal, por exemplo, pode ter prejudicado o seu desempenho durante as competições, ou até mesmo nem estar apto à prática do esporte por apresentar lesões musculares que associadas a problemas bucais, fazem com que o atleta leve um tempo maior de recuperação. Entende-se que um atleta deve ter boa higiene oral, dentes alinhados, para poder estar sempre em ótimas condições para realizar o trabalho em alto rendimento. Revisão de literatura As práticas esportivas estão cada vez mais presentes no cotidiano das pessoas, sendo que as respostas obtidas são, muitas vezes, definidas por pequenas variáveis. Na Odontologia Desportiva atuam cirurgiões dentistas com um olhar esportivo a fim de melhorar o desempenho de atletas através da manutenção da saúde oral, prevenindo ou tratando possíveis lesões decorrentes do dia a dia desportivo. A Odontologia Esportiva trata-se de um seguimento da Odontologia destinado a estudar a relação da prática esportiva com as estruturas dentárias, no que diz respeito à manutenção da perfeita saúde bucal do atleta. Alterações bucais podem ser requisitos que acabam com a carreira de muitos atletas, como a falta de dentes, fôlego e distensões. Contudo, a Odontologia Esportiva no Brasil está no estágio de conscientização de clubes e federações esportivas de que o cirurgião dentista é tão importante para o bom desempenho do atleta quanto o médico, o nutricionista, o fisioterapeuta. Com a união de cada uma dessas especialidades o atleta terá uma maior chance de sucesso perante seu preparo. Atualmente vem ocorrendo um grande aumento de acidentes traumáticos na fase escolar devido ao incremento no número de praticantes de esportes radicais e de esportes de contato, que tem como objetivo a vitória e o desafio. Enquanto na dentição decídua os deslocamentos dentários são mais comumente ocorridos, através de uma maior resiliência do osso alveolar, na dentição permanente, o que predomina são as fraturas coronárias. Em relação à região afetada, os incisivos centrais superiores, em ambas as dentições, são os dentes mais acometidos. Com o aumento significativo de traumas orofaciais no esporte, hoje, aparece em terceiro lugar na 79 Vanz MP, Gehlen GLA, Rovani G, Conto F, Flores ME. listagem de traumas mais frequentes a fratura nasal, devido ao fato da maioria dos atletas não usarem nenhum tipo de proteção neste local, com isso um afastamento prolongado acarreta a ele um enorme prejuízo físico e psicológico, contudo, prejuízo financeiro ao clube pelo fato do atleta não poder participar das partidas juntamente com sua equipe . O traumatismo dentário é uma injúria orofacial bastante prevalente na prática esportiva apesar de ser diferenciada de outros traumatismos, porém podem ser prevenidos, havendo a possibilidade de diminuir drasticamente os níveis de sua ocorrência através do uso de protetores bucais que realizam a proteção de toda as estruturas dentais e periodontais. Apesar de ocorrer na pratica esportiva, o traumatismo dental atinge uma considerável parcela da população, podendo causar perdas dentárias irreparáveis, tanto no ato do acidente como no decorrer do tratamento ou, até mesmo, após anos, devido a sequelas como reabsorções radiculares. Os traumas ocasionados pela prática esportiva representam 14 a 39% das causas do traumatismo dentário e correspondem ao terceiro atendimento de trauma na face . A proteção das estruturas dentárias e orofaciais nos esportes de contato é alvo de inúmeros estudos que buscam cada vez mais o aperfeiçoamento de técnicas, visando obter os melhores índices possíveis de injúrias às estruturas dentais. Atribui-se uma série de dificuldades perante o uso de protetores bucais durante a prática desportiva, sendo os mais frequentes dificuldade de respiração, náusea, dificuldade de fala, ferimento/dor, dificuldade na remoção perante aos atletas. Através disso, destaca- -se que a maioria dos atletas não usam protetores bucais, gerando uma incidência muito alta de injúrias orofaciais e ainda pela dificuldade de adaptação ao uso . Mesmo com a recomendação de especialistas, a incidência do uso de protetor bucal é quase nula na modalidade de futebol profissional no Brasil, simplesmente pelo fato de que os atletas acreditam que o protetor bucal pode atrapalhar seus desempenhos, principalmente no que diz respeito à respiração . Para compreender melhor a necessidade de se usar protetores bucais atualmente, basta saber as principais funções que ele desempenha: manter os tecidos moles (lábios, bochecha e língua) afastados dos dentes, amortecer golpes frontais diretos contra os dentes anteriores, absorvendo e redistribuindo as forças do impacto por toda a arcada, evitar danos às cúspides ou às restaurações dos dentes posteriores causados pelo impacto de dentes antagonistas, prevenir distúrbios da ATM, concussões cerebrais, proporcionar vantagens psicológicas, aumentando a confiança do atleta, estabilizar fraturas ósseas e dentes avulsionados e sustentar dentes adjacentes. O desempenho de um atleta depende muito da sua preparação física, e de nada adianta ele não estar ciente das causas bucais que poderão acometer caso ele não tome as devidas precauções, bem como estar sempre fazendo a manutenção de sua saúde oral, especialmente a prevenção. Eventualmente é comum acidentes locais ou de origem dolorosa no meio desportivo, além da existência de infecções que podem provocar consequências, à distância, psicológicas de desempenho muscular, pois um atleta que sofre de problemas bucais como gengivite, cárie dental, por exemplo, apresenta uma maior dificuldade perante a recuperação de lesões musculares. Por outro lado, os jovens atletas precocemente apresentam os primeiros problemas com terceiros molares inferiores, os mais comuns citados podem ser o trauma, podendo causar a indisponibilidade total do atleta, manifestando hiperemia, dor, trismo e inchaço . Um dos maiores responsáveis pela alteração do desempenho esportivo trata-se do atleta respirador bucal, reduzindo a capacidade aeróbica em atividades físicas e os processos infecciosos da cavidade bucal podem espalhar-se para o restante do corpo. Existem diversas bactérias de infecções bucais que buscam lesionar as articulações, criando problemas para o atleta, sem que ele saiba a origem. Profissionais de educação física e dirigentes esportivos devem sempre relembrar, atuando em conjunto, formando uma equipe multidisciplinar, aconselhando e orientando os atletas sobre a higiene bucal e a necessidade de frequentarem um cirurgião-dentista periodicamente, proporcionando saúde e longevidade em suas carreiras esportivas. Os atletas que apresentam dispneia certamente tentarão respirar pela boca para captar mais oxigênio, a fim de compensar sua demanda respiratória. A falta de oxigênio vai alterar o seu metabolismo a ponto de apresentar dificuldades de recuperação de lesões musculares, problemas de visão e posturais, além de fadiga. Podem aparecer também distúrbios na articulação temporomandibular (ATM) por aumento de pressão sobre essa articulação, alteração do desempenho esportivo associado a causas bucais 80 ODONTO SCIENCE - 53 ANOS - FOUPF Capítulo de revisão / Review chapter vocando dores de cabeça constantes, presença de zumbidos, tensão dos músculos frontal e temporal, seguidas ou não de fadigas de músculos mastigatórios e ainda diminuirá em 21% o rendimento deste atleta se comparado a um respirador normal . Problemas mais comuns encontrados em pacientes que respiram pela boca referem-se a falta de ar ou insuficiência respiratória, ao cansaço rápido nas atividades físicas, dor nas costas com frequência, dor na musculatura do pescoço, diminuição de olfato ou paladar, halitose, sensação de boca seca, a pessoa acaba acordando muito durante a noite engasgado, dormir mal, paciente sente muito sono durante o dia, ter olheiras e espirrar saliva ao falar e, ainda, dificuldade de realizar exercícios físicos como correr e jogar futebol. Entre as principais alterações de um respirador bucal em geral, são problemas oclusais, posturais e de má função dos órgãos fonoarticulatórios. Atualmente um dos requisitos mais importantes para um bom desempenho esportivo se dá através de uma boa alimentação. A ingestão de uma dieta adequada para crianças desportistas é de suma importância para manter a saúde, o crescimento e a maturação, bem como para minimizar lesões e melhorar o seu rendimento. Uma dieta adequada ajudará a desenvolver hábitos alimentares saudáveis, que na idade adulta, juntamente com a atividade física, diminuirão o risco de muitas doenças relacionadas ao estilo de vida. Porém, quando crianças e adolescentes estiverem expostos a dietas ou programas de treinamento muito intensos para a sua idade, grau de maturação ou limite individual, os benefícios da participação esportiva poderão ser eliminados ou até mesmo excluído13. O exercício em excesso remete a perda hídrica através da sudorese, principalmente quando ele é realizado em um ambiente de temperaturas elevadas. Tal perda pode acarretar desidratação, alteração do equilíbrio hidroeletrolítico, dificuldade de realizar a termorregulação e, desta forma, representa tanto um risco para a saúde como pode causar uma queda do desempenho esportivo. Levando-se em consideração um percentual de desidratação corporal relacionado ao peso, são desencadeadas diversas respostas fisiológicas que mudam de um simples mecanismo de sede podendo chegar à insuficiência renal e circulatória. Com isso, além da água, os atletas costumam complementar sua hidratação durante a prática esportiva através de isotônicos16. Existem os isotônicos, frequentemente utilizados por atletas de alto rendimento nos dias de hoje, após a prática esportiva, sendo usados para reidratação. O seu consumo excessivo pode causar erosão dental, mais um motivo para a frequente visita ao cirurgião-dentista para obter a correta orientação referente ao uso. Observa-se que as bebidas esportivas possuem essa denominação por apresentar osmolaridade similar à do sangue. Por isso, a despeito de suas propriedades hidroeletrolíticas, apresentam efeito danoso sobre os dentes, devido ao seu baixo pH e presença de ácido cítrico em sua composição. Essas características fazem com que apresentem elevado potencial erosivo aos tecidos duros dentais, especialmente quando consumidas de forma excessiva ou por períodos prolongados. Assim, atletas que consomem bebidas isotônicas mais de duas vezes ao dia, apresentam um risco quatro vezes maior de desenvolverem lesões por erosão dental do que aqueles que não consomem . Contudo, podemos destacar a grande importância que um cirurgião-dentista tem, podendo detectar causas bucais em seus pacientes atletas, assim passando-lhe uma correta instrução e conscientização de que devem ser feitas periodicamente consultas de manutenção e prevenção e, caso necessário, um correto tratamento para eventual lesão. A postura de um treinador de futebol hoje em dia vem crescendo, ele não é mais apenas responsável por treinar a sua equipe dentro de campo, e sim de uma série de outros aspectos, por exemplo, monitorar a saúde bucal de seus atletas, como enviando-os ao odontologista que é de suma importância, pois ele pode fazer a ligação dentista-atleta com maior facilidade. É uma postura muito importante que vários técnicos deveriam ter, mas limitante sob o aspecto científico de informação para os profissionais que atuam nesta área. Seria de suma importância que existisse mais pesquisas dentro desta área, ajudando na preparação dos atletas de alto nível e ainda na compreensão das principais causas bucais que dificultam a deficiência profilática dentária em atletas.

Fonte: Colgate

Atividade Física x Saúde Bucal